sábado, 29 de dezembro de 2012

Férias \0ô/




=)~ ♪ " Love is the answer at least for most of the questions in my heart
Why are we here? And where do we go? And how come it's so hard?
It's not always easy, and sometimes life can be deceiving
I'll tell you one thing, it's always better when we're together"♫


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Em um ano...



Em um ano tanta coisa acontece
Produtos chegam ao prazo de validade,
Sapatos ficam velhos,
Roupas perdem a cor,
Pessoas nascem...
Sentimentos morrem? –talvez.

Em um ano,
Conhecemos pessoas
E desconhecemos tantas outras,
Próximos se tornam distantes,
E imagináveis amigos surgem...

Mudam-se os pensamentos, a opinião...
E os planos, porque não?!
Feridas cicatrizam
Rugas aparecem
Nem sempre maturidade...

Um ano passa rápido para quem ama
E se arrasta para quem sofre,
Amores se vão.
Amizades que ficam.
Amigos longe, quanta saudade...

Termina-se  a faculdade
Em um ano
Trabalhos nem sempre vem...
...e o que, que tem?

Em um ano acontece tanta coisa
A lista é infinita
Tantas coisas se perdem, em um ano
Importante mesmo é o que, com a gente, fica...

...Por tempo indeterminado.



Sandrinha Ramos







sexta-feira, 16 de novembro de 2012


“Eu falo muito de mim quando escrevo.
E quando eu consigo alcançar quem me lê, e quem me sente, essa pessoa acaba me tocando também.
E a gente acaba se encontrando numa mesma letra.
Em uma mesma nota.”

(Bibiana Benites)

sábado, 3 de novembro de 2012

Humberto Gessinger sobre AMOR:


Vini&San

"Acho que amadurecer é saber que a gente é dependente. No amor, é isso. Quando é que amadurece o amor? Quando a gente sabe que é dependente. No início, é aquela coisa meio chata, o cara quer namorar a menina, tudo o que ele faz é bom. Escova os dentes 40 vezes, compra chiclete, vai todo bem arrumado, porque ele é o cara e tal. Mas o bacana do amor é quando tu descobres que tu dependes de outra pessoa. É como se tu pudesse, finalmente, revelar a tua fraqueza diante do mundo: 'Sinto muito, eu preciso de ti, tu vais ter que me aguentar nos próximos 20 anos'."  

domingo, 14 de outubro de 2012

x= Silêncio, meu.


"O que fazer quando o coração aperta?
O que dizer quando a voz soluça?
O que pensar quando os olhos lacrimejam?
O que pedir quando o pedido já foi feito?
E como agir quando a promessa não foi cumprida?
A melhor  resposta... Silêncio, meu."

Sandrinha Ramos




segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Recomeço



A gente só se preocupa com as coisas até o dia que quer ou até a 'TPM' chegar. Amar é uma decisão, deixar de sofrer também é.
Ela não teve 'TPM’ apenas decidiu-se. Acordou em uma bela manhã, cheia de paz de espírito e percebeu que não fazia o menor sentido, ficar soluçando e chorando por alguém que não se importava tanto com isso. Ela entendeu que a vida segue, os dias passam, então, fez a maior descoberta, que só quem já sofreu por amor fez também um dia: “o tempo cura todas as feridas”. A dela poderia até, está muito inflamada ainda, mas já começara a fechar. Ela conseguia falar dele sem tanto remorso, entendeu que os dias em que passaram juntos foram inesquecíveis, mesmo que anos se passem, novos amores apareçam em sua vida, ele será sempre alguém de quem ela lembrará com carinho. Ela já começa a ver “aquela menina” não como alguém que o roubou, mas que apareceu quando eles já estavam separados e agora é parte da vida dele... E relembrou que intrigas não resolvem nada. Que ela ainda sofre, é fato. Mesmo assim sorri e finge que não e acredita, nesse sofrimento, com tanta força que um dia não haverá dor alguma.
Ele sempre foi um amigo, companheiro e um homem apaixonante. Seria fácil qualquer garota se encantar. E estando sozinho, a demora era só ele se deixar envolver por alguém e isso aconteceu. Que culpa ele teve? Nenhuma. Ele entendeu mais rápido que não adiantava insistir, era o fim. Isso não quer dizer que ele tenha sofrido menos, pelo contrario, ele ficou dias e noites pensando onde eles tinham errado... De quem era a culpa? Não existiam culpados. Eram muitas questões sem resposta... E assim ele também descobriu, porém antes, que a vida continua e não espera a gente curar feridas que só o tempo cicatriza. . Ainda assim sempre foi cuidadoso e pensava em maneiras de contá-la sobre “aquela menina” sem magoá-la... Mas muitas coisas aconteceram que ele não havia planejado... Ela soube de um jeito torto e isso não vem ao caso, não mais...

O Importante mesmo é que ela recomeçou sua vida, pelo menos é o que tenta mostrar a todos. Eu acredito nisso.
E ele mesmo sabendo da importância que ela teve em sua vida... Vive uma nova historia sem receio, sem culpa... Permitindo-se.
Afinal, amores podem ter um fim... Lembranças são eternas... Mas sofrimentos passam.



Sandrinha Ramos


(Para fins de direitos autorais a foto utilizada no post não é de minha autoria)

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Sei - Nando Reis



“Sabe, quando a gente tem vontade de encontrar
A novidade de uma pessoa
Quando o tempo passa rápido
Quando você está ao lado dessa pessoa
Quando dá vontade de ficar nos laços dela
E nunca mais sair…

Sabe, quando a felicidade invade
Quando pensa na imagem da pessoa
Quando lembra que seus lábios encontraram
Outros lábios de uma pessoa
E o beijo esperado ainda está molhado
E guardado ali em sua boca
Que se abre e sorri feliz
Quando fala o nome daquela pessoa
Quando quer beijar de novo muitos lábios
Desejados da sua pessoa
Quando quer que acabe logo a viagem
Que levou ela pra longe daqui…

Sabe, quando passa a nuvem brasa
Abre o corpo, sopro do ar que traz essa pessoa
Quando quer ali deitar, se alimentar
E entregar seu corpo pra pessoa
Quando pensa porque não disse a verdade
É que eu queria que ela estivesse aqui…

Sei... Eu sei.”




...Eu também sei. 

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Ela♥Ele


Ela fica boba quando ele a olha fixamente por um bom tempo 
Ele entende isso e faz de propósito. 
Eles sempre riem juntos, disso e tantas outras coisas... 
Ela se sente segura quando ele está por perto, 
Ele se sente por saber disso. 

Eles se escolheram, aceitaram-se... 
Eles se misturaram 
E é impossível enxergá-los separados. 



Sandrinha Ramos

terça-feira, 18 de setembro de 2012

NO MEIO DA AULA




Uma tão atenta viaja com tantos números na cabeça...
A outra enruga a testa, entorta a boca, passa a mão nos olhos e parece não enxergar aquilo que esta bem a sua frente...
O apaixonado, ri enquanto escreve, parece que sua mão está desligada do pensamento e ele vai longe enquanto copia...
Duas amigas conversam e riem. Não sei sobre o que, mas deve ser algo muito bom e engraçado, afinal gesticulam, sorriem e sussurram... Deve ser segredo...
A ‘desenhistas de letras’ não se cansa... Uma perfeição, seu caderno... Ela capricha cada letra que seu lápis pode construir, deslizando-o calmamente sobre as folhas limpas do caderno...
Três discutem futebol...  Um deles sofre por que seu time perdeu... Os outros se divertem com isso...
A menina de cabelos dourados quieta, mal levanta os olhos... Tão centrada está...
Um pequeno grupo, no fundo da sala, faz tudo ao mesmo tempo... Copiam e conversam e discutem e riem... Uma bagunça!

E como poderia esquecer... “- ‘Eita’ tia, que você copiou demais hoje!” Essa frase é unânime...

 =)
Todo dia é igual...
E igualmente diferente.
Minhas turmas... Meus alunos, meus amores!

Sandrinha Ramos

sábado, 15 de setembro de 2012

Coisas esquecidas



Ninguém surge para refazer uma historia,
passar a limpo acontecimentos,
preencher espaços ocupados,
tão pouco, curar feridas...

As pessoas só tomam posse do espaço que encontram para elas
Algumas chegam e ficam logo... e logo partem.
Outras são conquistadas com os dias, sorrisos e birras... aí sim é mais difícil partirem.
Elas criam raízes e dão sentido... Mas isso não é uma regra.
Pessoas só ocupam espaços que lhes pertencem,
Ninguém ocupa um coração que não é seu 
nem provoca uma saudade que não é sua.
E isso eu sei bem...
...Coisas tão obvias e tão esquecidas.

Sandrinha Ramos

domingo, 9 de setembro de 2012


"(...) dessa vez era um amor mais realista e não romântico:
Era um amor de quem já sofreu por amor."

Trecho de uma historia de tanto amor - Clarice Lispector

terça-feira, 4 de setembro de 2012


“não tenha medo
nem tudo tem explicação
há mistério em quase tudo
nem todo veludo é azul
o coração sempre arrasa a a razão
o que não tem explicação

ninguém precisa explicar”

 http://blogessinger.blogspot.com.br/

quarta-feira, 22 de agosto de 2012


♫♫ "Foi só piscar o olho
E eu me apaixonei enfim
No meio da fumaça
Ele também gostou de mim
O tempo foi passando
E o nosso amor saiu do chão" ♫♫

Tiê - Piscar o Olho

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

^^,



“Sim, ele me faz viver como nunca vivi antes
e pensar que antes de nós, nada existiu...”
   
Sandrinha Ramos





terça-feira, 7 de agosto de 2012

suspiropoetico.blogspot.com.br


 “- É que não aguento só transbordar de felicidade... 
Eu respiro, exalo e contagio quem chega perto.” 
\o/
Sandrinha Ramos

domingo, 5 de agosto de 2012

Ainda é cedo


O sol não nasceu completamente
O barulho da rua ainda é discreto
E eu gostaria de ficar aqui todo o dia

Pensando em cada palavra sua...

(=
-Apaixonada-  

Sandrinha Ramos

sábado, 28 de julho de 2012

"rascunho"


sou um rascunho
a folha está cheia deles
de próprio punho
tentativas e erros

sou um rascunho
a vida está cheia deles
de peito aberto
tentativas e erros

hoje estou só
hoje estou cheio deles
de volta ao início
tentativas e erros

sou um rascunho
pelo jeito a mão tremia
pelo jeito pretendia
dar um jeito noutro dia

fica pra outro dia
ser uma obra-prima
que não fede nem cheira
não fode nem sai de cima

não fica pronto nunca
não fica pronto nunca
fica pra outro dia
...


sexta-feira, 20 de julho de 2012

AOS MEUS


Aos que são...
aos que se foram, aos que se deixaram ir.
 Aos que estão próximos...
aos que vivem longe ou estão longe só hoje.
Aos que abracei...
Aos que só verei amanhã, aos que não sei quando irei encontrá-los.
 Aos AmoresAmigos, aos AmigosIrmãos...
Não preciso citá-los...
 Eles sabem que são. ♥



Música: Dia especial
Artista: Pouca Vogal

quarta-feira, 18 de julho de 2012

18/08 - HOJE É "MEU ANIVERSÁRIO" - \ô/



...
Hoje eu escolhi passar o dia cantando
De hoje em diante
Eu juro felicidade a mim
Na saúde, na saúde, juventude, na velhice
Vou pelos caminhos brandos
A minha proposta é boa, eu sei
De hoje em diante tudo se descomplicará
Com um nariz de palhaço
Rirei de tudo que me fazia chorar
Cercada de bons amigos me protegerei
Numa mão bombons e sonhos
Na outra abraços e parabéns

Quero paparicações no meu dia, por favor
Brigadeiros, mantras, músicas
Gente vibrando a favor
...
\Ô/ Parabéns, eu! Parabéns, eu!

segunda-feira, 9 de julho de 2012






“Ele disse que ela vê poesia em tudo
e transforma tudo, em versos...
Mas nem desconfia que é a maior inspiração dessa moça.”


08.07.2012



quarta-feira, 4 de julho de 2012

"Assim como um guarda roupa, a vida." -Reflexões de um dia de faxina.-


Alguém me disse, certa vez, que a vida da gente é igual ao nosso guarda roupa. Às vezes organizada, muitas vezes de portas fechadas.  A gente pega tudo e vai ‘jogando’ encaixando... Deixando muita coisa que nem serve mais ocuparem o espaço de coisas que são, realmente, necessárias.

Tem dias que procuramos aquele sorriso e ele esta por traz de tanta preocupação, tanto trabalho e deixamos para usá-lo depois. Outras vezes lembramo-nos daquele sentimento, saudosista de determinada época da vida... Torcemos para que ele ‘sirva’ agora e é em vão, aquele tempo não nos ‘serve’ mais.

Tem roupa que você se apega tanto, que mesmo quando acaba e você guarda, na memória, lembranças de dias em que você estava usando-a... Semelhantemente aquelas pessoas, marcantes, que já se foram... E ficam na memória eternamente.

Nada mais relaxante que organizar um guarda roupa com calma, pelo menos para mim. Gosto de tirar a poeira, separar roupas com algum critério ou não... Tira aquilo que não ‘serve’ mais e abrir um monte de espaço para coisas novas... Depois, mesmo cansada a sensação é de puro alivio. Cheirinho de limpeza, facilidade para encontrar tudo. É tão bom.

Na vida também é assim. Tem dias que é preciso começar ‘aquela’ faxina. Separar as prioridades, organizar tarefas, colocar muitos acontecimentos no balde do esquecimento, guardar cada lembrança no seu devido tempo, priorizar o que faz bem... Separar tudo como deve ser separado e deixar junto aquilo que jamais pode ficar longe. Para quando terminar, sentir-se aliviada, apesar do cansaço, e encontrar aquele sorriso, que estava escondido, agora com facilidade, como também, espaço para dengos, mimos até mesmo um pouco de trabalho, mas ali, no lugar dele, sem extrapolar horários. Precisamos de vez e sempre, fazer uma boa arrumação no guarda roupa, esvaziar gavetas, mas, principalmente, organizar a vida.



 Sandrinha Ramos



"Para fins de direitos autorais de imagem, declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que o autor não foi identificado."

segunda-feira, 2 de julho de 2012

A Mancha'







Ela era como aquela macha que se forma de uma 'noda’
E não larga por nada, naquela roupa nova e intacta.
Se você mexe, ela cresce...
Mas não dava para abrir mão da roupa, não daquela,
Tão pouco, fazer aquela mancha horrível, largar de uma vez só...
Então, a gente aprendeu a viver com aquela coisa impregnada,
Que com o passar dos dias, tornou-se apenas a mancha, manchinha...
E foi se apagando... E agora passa despercebida.
Mesmo que não tenha desaparecido totalmente,
Aquela sombra insignificante,
Que tentava se fazer presente,
Mal dá para fazer lembrar...
...Do estrago que, ela, tentou causar um dia.
E a roupa nem tão nova, agora, nem tão intacta,
Continua sendo a nossa... Predileta. 


Sandrinha Ramos





"Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que o autor não foi identificado."

domingo, 24 de junho de 2012

Vaga lembrança





Pegou o celular, 
Procurou o numero com a certeza de que não existia mais na agenda; 
Daqueles dias, agora, só resta uma vaga lembrança... 
Não sentia mais o cheiro, 
Não lembrava mais do beijo, 
E também não doía mais... 
Acabou. 
Foi marcante, 
Foi importante, 
E se foi... 
...enfim...
melhor assim.
(Sandrinha Ramos)


"Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que o autor não foi identificado."

quarta-feira, 20 de junho de 2012

A moça


O sol parecia que estava mais perto da terra
de tão quente que era aquele fim de tarde...
Eu desconfio que ele havia se inclinado,
Só para olhá-la...
A moça,
Que mal dava conta
de enxugar as gotas de suor
que escorriam da sua testa e escorregavam pelo rosto...
Eu desconfio que elas ‘escapuliam’
só para percorrer o seu corpo.
...O vento parecia envolvê-la nos braços
quando tocava seu vestido,
ao mesmo tempo em que bagunçava seus cabelos
Escuros, compridos... Lindos...
E ela, a moça, tão doce, nem desconfiava,
...que tão formosa estava.

Sandrinha Ramos













"Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que o autor não foi identificado."

sexta-feira, 15 de junho de 2012




Entre uma palavra e outra me sinto boba. Chego a duvidar.
Afinal, quando falo sobre uma menina correndo entre as mangueiras ou sobre a saudade de um tempo que não volta mais. Quando escrevo sobre lágrimas ou gargalhadas soltas no ar.
Duvido se alguém me ouve.
Os jornais só publicam um grande terremoto ou tragédias diárias que tentamos esquecer.
Enquanto eu... eu insisto em explorar minha própria alma. 
Insisto em tentar desvendar os meus segredos.
Ou em, ao menos, fazer doce as tolices em que ainda acredito.



(Agda Y)


Fonte: http://bobagensdaalma.blogspot.com.br/.



quinta-feira, 14 de junho de 2012

-Sobre o Amor-


“Amor é bicho instruído
Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.”

Carlos Drummond de Andrade



O título atribuído a postagem não é o nome do poema de Drummond.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Felicidade - O Teatro Mágico




Felicidade?
Disse o mais tolo: "Felicidade não existe"
O intelectual, não no sentido lato
O empresário, desde que haja lucro
O operário, sem emprego, nem pensar
O cientista, ainda será descoberta
O místico, está escrito nas estrelas
O político, poder
A igreja, sem tristeza, impossível... Amém

O poeta riu de todos
E por alguns minutos foi feliz


quarta-feira, 6 de junho de 2012

Meu amigo, o tempo.




          O tempo cura, alivia, muda as coisas de lugar, promove encontros eternos, proporciona experiências que ensinam tanto... Mesmo doendo.
O tempo, esse meu amigo, ensina-me muito todos os dias... E nem peço mais para voltar e tentar mudá-lo... Foi tudo o que vivi que me tornou exatamente quem sou hoje.
Hoje eu sei que meus sentimentos são meus e só divido com quem é digno.
Aprendi que devo confiar verdadeiramente nas pessoas, até que me provem o contrario, mas se de um jeito ruim, alguém conseguir provar, esse não merecem minha companhia, muito menos atenção... Basta o meu silencio.
Hoje me contento com gestos simples e sinceros, que só dizem respeito a mim e a o outro, que recebe ou demonstra... Isso só a gente precisa entender.
Aprendi que não  é da noite para o dia que se fala ‘eu te amo’ e que ouvir aquele  ‘eu te amo’ não seja tão importante... Depois que você ouviu tantas vezes mecanicamente.
Prefiro um afago, um ‘xero’, as cartinhas dos meus alunos,  até aquele olhar que diz tanto, mesmo me deixando sem jeito;  Gosto é de apreciar o belo, ver o pôr do sol, andar de mãos dadas e sorri só de pensar... Mas deixa isso pra lá.
È que hoje acordei com vontade de escrever, não em versos, e isso não quer dizer, que não haja poesia nas minhas palavras, muito pelo contrário, ando ‘respirando poesia’... Tenho certeza que não preciso de muito para continuar contente.
E sem mistérios, sem segredos, aprecio cada dia como aquela taça de vinho que você degusta com calma e aos poucos, convicta  que aquele sabor é inconfundível e não se misturará a outro... Assim como os dias que não param de passar. (Sandrinha Ramos)


"Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que o autor não foi identificado."

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Mudar


É preciso mudar?
Mudar a corte do cabelo,
A cor do esmalte
O tamanho da saia e talvez do salto
Mudar a maneira de lidar
De amar
De aprender a viver
Mudar o móvel do lugar
A maneira de ver
São mudanças que não entendo...
Então mudo o pensamento.

(Sandrinha Ramos)

terça-feira, 29 de maio de 2012


“Quando o verde dos teus óio
Se espaiar na prantação
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu vortarei, viu
Meu coração” (Asa Branca - Luiz Gonzaga)

"O Amor...


É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os
fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!"

Cecília Meireles

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Ai Se Sêsse



Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém acontecesse de São Pedro não abrisse
a porta do céu e fosse te dizer qualquer tulice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvês que nois dois ficasse
Tarvês que nois dois caisse
E o céu furado arriasse e as virgi toda fugisse

(Zé da Luz - Cordel do fogo encantado)



"Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que o autor não foi identificado."

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Poeminha do Contra


Todos estes que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!
(Mario Quintana)

fonte: livro - Antologia Poética, montagem e apresentação - Walmir Ayala, Ilustrações: Graça Lima.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

A imagem


Às vezes eu também penso que é bem por aí...



Quem sabe ficar sem coração 
Seria a solução...
Para que se apaixonar?
Primeiro o encanto,
Depois o pranto.
Primeiro a ansiedade,
Depois saudade.
Primeiro a vontade de esta perto,
Depois a vontade de nunca ter ido embora,
E chora,
E implora,
E nada muda...
Coração fraco.
Que quer afago...
Coração burro,
Nunca aprende...
É só colar os pedaços
E lá está ele de novo
Pronto para começar outra vez
Pensando ele que agora é pra valer.
E foi assim,
E é assim,
E será até o dia em que for verdadeiro.
E como nunca sabemos...
Arriscamos
Sentimos
Sofremos
Cicatrizamos
Recomeçamos...
Enfim,
É sempre assim
E eu,